Eu faço parte do meu próprio mundo.
Setenta Trinta

Sobre São Paulo e grandes cidades

Tenho um vício pelo melancólico. Uma paixão esquisita por cidades grandes e seus habitantes apressados. Vivendo em vazios existenciais, buscando algo mais onde não há mais o que achar. Feitos do frio e do suor do dia dia. Gente rica, esnobe e pobre. Gente batalhadora, viva e sem dinheiro. Gente como a gente que não sabe o que quer mas vai atrás mesmo assim.

Você e essa mania de sumir

E eu que nunca sei se você está se isolando do mundo ou apenas de mim, se eu devo te procurar e te obrigar a me deixar ajuda-lo ou enxergar que você enjoou da minha voz e que não vai ligar em quinze minutos. Nunca sei se eu devo ter raiva ou ficar preocupada com você, se eu te protejo ou te sufoco. Mas você, eu não sei se sabe ou se nota, que quando some e não dá sinal de vida eu fico aflita. Eu não durmo só de imaginar a hipótese de que esteja sofrendo, sozinho, solitário, como  sempre. Quando você vai entender que pode contar comigo? Que pode desabafar poxa. Você some e eu desabo. É por isso que eu ignoro o que muitos chamam da barreira do amor próprio e ligo sim, deixo trinta e três ligações perdidas rejeitadas, ignoradas,  quem sabe? — Não me importo, eu corro o risco de está sendo ridícula, implorando noticias tuas e continuo a esperar o celular tocar, ou simplesmente um sms teu dizendo: “eu não morri, eu estou bem.” Porque para mim é isso que importa, o teu bem.

Textificar.

FOTOS :D ↘

Fiz um Tumblr pra postar as fotos que eu tiro, se alguém quiser seguir, pode seguir :D

 
Não questione uma sensação maravilhosa, Dink. Jamais questione.
Stephen King - Tudo é Eventual